Mais Informações

Lançamento 09/04/2015

  • Palmeiras da amazonia e seus usos

 

Primeira edição em português, publicado originalmente em Londres, em 1853, o autor apresenta 44 espécies de palmeiras, indicando o nome de cada uma delas em língua nativa e o uso das mesmas pela população local; dentre essas, 14 eram novas para a ciência e 12 delas têm nomes com sua autoria.

 

 

  • Doenças de Plantas

A expansão do cultivo de grandes áreas contínuas e que abrigam um pequeno número de espécies de plantas, vem causando profundas modificações nos ambientes naturais, estas responsáveis por uma maior incidência de pragas e doenças, dentre outros impactos ambientais. Uma concepção a partir da experiência adquirida em atividades de extensão e da vivência com produtores rurais de comunidades ribeirinhas, localizadas às margens dos rios Solimões, Negro e Madeira, o livro aborda pragas e doenças de plantas e da importância e possibilidade real do uso de insumos alternativos. 

 

  • Avaliação da atividade de reciclagem

Este livro representa esforços enviados no sentido de conhecer e avaliar a dinâmica de uma associação de catadores. Nesse sentido, a obra possibilita, primeiramente, uma visão geral da teia conceitual constitutiva das Organizações Não-Governamentais; também nos oferece um conhecimento aprofundado, fruto de um estudo de caso, sobre a atuação de uma ONG cujo foco agrega tridimensionalmente a reciclagem, a preservação ambiental e a geração de renda, mergulha na complexidade do beneficiamento primário de materiais recicláveis, da coleta à comercialização. 

 

  • Curt Nimuendajú

2014 Curt Nimuendaj

 

 

A obra trata de apreciar a personalidade e a obra, para uma compreensão e justificativa da homenagem ao qual o autor está prestando acerca do etnólogo Curt Nimuendajú, este inserido no movimento de migração planetário e motivado pelo fomento das ideias antropológicas que circulavam pela Europa no século XIX, chegando ao Brasil no ano de 1903.  

 

  • O corpo na ritualística do povo Tikuna

2014 O corpo na ritualstica do povo Tikuna

 

 

O percurso nas páginas desta obra deixa claramente pontuado que a visão ocidental da pessoa é algo extremamente particular e histórico. Discorre acerca da compreensão da noção de pessoa na sociedade Tikuna como um meio, talvez o mais importante, para compreender nela o uso do corpo, situando-se no campo da diversidade cultural, e consequentemente, da autonomia cultural dos povos. Esta obra leva-nos de volta à descoberta e compreensão do mítico e sagrado, contido em formas de viver e conviver, de celebrar e festejar que, não raramente, encaramos com a leviandade e a sobrancelha próprias da ignorância.

 

  • Carpinteiros dos rios

2014 Carpinteiros dos rios

 

Analisa os elementos constituintes do saber-fazer da construção artesanal de barcos no município de Novo Airão/AM, cuja experiência permitiu a autora avaliar o perigo ao qual esse mundo se encontra vulnerável: o do desaparecimento daquela memória e de um modo de vida pelos quais a Amazônia se abriu aos povos em um compasso ajustado ao ritmo dos rios e da floresta.

 

  • Trabalho e relações de trabalho na Mineração Taboca

2014 Trabalho e relaes de trabalho na Minerao Taboca

 

Este livro versa sobre os trabalhadores extrativistas industriais que atuaram na mina do Pitinga, de propriedade da Mineração Taboca, durante a década de 1980. O intuito está em verificar em que medida esses trabalhadores, pioneiros da Mineração Taboca, vivenciaram relações de poder autoritárias no âmbito da empresa mineradora, dando especial relevo à organização política desses operários.

 

  • Como surgiu a noite

Como surgiu a noite

 

É uma obra que, na estrutura e na dinâmica, favorece a compreensão da vida humana e projeta o leitor para uma imaginação, a partir da ideia de relacionamento social, usando animais como protagonistas. Essa obra foi inspirada em 1968, a partir de um debruçar no estudo sobre lendas amazônicas. Une as características dos fatos folclóricos que dá origem a interpretação sobre o surgimento da noite, para apresentá-las a outras pessoas, principalmente crianças e adolescentes.

 

  • Um localismo universalizado

2015 Um localismo universalizado - a formao de professores m

 

Os estudos e reflexões sobre a formação de professores, mestres e doutores na FACED/UFAM, realizados na perspectiva de uma educação como projeto antropológico, exigiu incursões na Filosofia, na Pedagogia, na História, na Sociologia, na Antropologia e na Literatura visando dizer de suas experiências, descrever e analisar seus processos de produção de conhecimento e, fundamentalmente, compreender o que eles são e qual o sentido de suas existências, assim como identificar os universais presentes nas questões ou preocupações locais que perpassam as suas estruturas e os estudos neles envolvidos.

 

  • Contar história, hábito e tradição: uma ferramenta pedagógica eficaz no processo ensino aprendizagem

2015 Contar histria hbito e tradio

 

O autor traz ao público a discussão sobre a arte de contar histórias, compreendendo-a no cariz do hábito e da tradição. O tema está relacionado ao recurso didático que este representa pelo professor, em sala de aula, uma prática que se enleia de modo singular com o ato de conhecer, com a pretensão de manter viva a cultura de sua localidade; bem como na preocupação legítima do autor com o desaparecimento paulatino dos “mestres” contadores de histórias.

viagra without prescription