Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Coleção Reflexividades Indígenas é tema de palestra na 'Quinta Antropológica no Museu', dia 25
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Coleção Reflexividades Indígenas é tema de palestra na 'Quinta Antropológica no Museu', dia 25

  • Publicado: Quarta, 17 de Julho de 2019, 07h51
  • Última atualização em Quarta, 17 de Julho de 2019, 07h51

Dagoberto Lima Azevedo, Gabriel Sodré Maia, João Paulo Lima Barreto e João Rivelino Rezende são autores da coleção ‘Reflexividades Indígenas’ e apresentarão palestra, dia 25 de julho, às 14h, no Museu Amazônico, localizado na Avenida Ramos Ferreira, nº 1036 - Centro, Manaus, sobre as publicações. Os pesquisadores foram responsáveis por contribuírem com a construção de uma epistemologia Yepamahsã (Tukano) ao sistematizarem conceitos, concepções e práticas desse povo que reside no Alto Rio Negro.

As quatro obras são frutos das respectivas dissertações de mestrado defendidas junto ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas (PPGAS/Ufam), ligadas ao Núcleo de Estudos da Amazônia Indígena (NEAI).

Coleção ‘Reflexividades Indígenas’

A publicação ‘Agenciamento do mundo pelos Kumuã Ye’pamahsã: O conjunto de bahseses na organização do espaço Di’ta Nuhku‘ de Dagoberto Lima Azevedo trata da concepção do espaço terra-floresta. O autor volta-se para a forma singular de selecionar plantas, animais, seres visíveis e invisíveis, tipos de solo, etc. Dagoberto Lima é Tukano do sib Nãhuriporã, nascido e criado na comunidade Mahawi’i Tuhkuro(Pirarara – Poço), Rio Tiquié, terra indígena do Alto do Rio Negro.

O livro ‘Formação e transformação de coletivos indígenas do noroeste amazônico: do mito à sociologia das comunidades’, de autoria de João Rivelino Rezende Barreto, aborda o sistema hierárquico na organização social do alto do Rio Negro, com foco nos Tukano orientais e a partir do que informam os Yupuri Bubera Porá. O autor é nascido em São Domingos Sávio (AM) e trabalha, atualmente, como professor no curso de Pedagogia na Faculdade Salesiana Dom Bosco.

Já o título “Bahsamori: o tempo, as estações e as etiquetas sociais dos Ye’pamahsã”, escrito por Gabriel Sodré Maia, diz respeito ao conjunto dos grandes rituais e as cerimônias associados a um calendário anual, baseada na dinâmica das constelações. Gabriel Sodré pertence ao grupo Yeparã Oyéporãdos líderes Yepamahsã (Tukano).

Por fim, João Paulo Lima Barreto é autor do livro Waimahsã: peixes e humanos que propõe uma reflexão sobre o conjunto de narrativas míticas que incluem os feitos e as tramas vivenciadas pelos responsáveis pela organização do mundo, dos seres e das coisas. João Paulo Lima é nascido na aldeia São Domingos, no município de São Gabriel da Cachoeira (AM), Idealizador do Centro de Medicina Indígena e aluno de doutorado do PPGAS/Ufam.

registrado em:
Fim do conteúdo da página